Texto Base:

A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado. (Isaías 61:3)

sábado, 21 de agosto de 2010

Indo a Terra Prometida texto base: Josué 1.1-9

E sucedeu depois da morte de Moisés, servo do SENHOR, que o SENHOR falou a Josué, filho de Num, servo de Moisés, dizendo:

Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel.

Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés.

Desde o deserto e do Líbano, até ao grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus, e até o grande mar para o poente do sol, será o vosso termo.

Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.

Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.

Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.

Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.

1○-O que Deus tem te Prometido?

Deus Prometeu ao povo de Israel(ao povo Hebreu)uma terra onde mana leite e mel (Ele Prometeu primeiro a Abraão-genesis 12.7,atos 7.2-5)
Abraão viu esta terra junto a Isaque e Jacó mais Deus disse a Abraão que eles seriam provados em uma terra estranha, seriam escravos e maltratados (Gn 15.13)
Deus nos Prova antes de nos dá algo
Ele quer ter certeza se somos merecedores, Ele quer ver se quando obtermos o que nos prometeu, nao seremos rebeldes para com ELE. Pois o que Deus estava dando eles era uma terra de Descanço (Dt. 12.9-10)(Dt.8.2)

O povo de Deus passou 400 anos sendo maltratados no Egito, porem Deus disse que castigaria os que maltratarem eles (a naçao) Gn.15.14, e eles sairiam prospero da terra estrangeira(Gn.15.14b)

Deus nos prova mais não nos deixa só em meio as provações, ELE te acompanha em cada passo, ELE mostra quem voce é (prov.17.5).
A provaçao serve para tirar toda impureza, assim como o fogo prova os metais (Jeremias 9.7). Assim fez Deus com o seu povo no deserto, cada pessoa que morreu ali naquele lugar era algo mal assim como lascivia, prosituiçao, fornicaçao, fofoca, e tudo o que Deus nao Gostava, Deus estava purificando o ouro que ali no momento era o seu povo.
D-us prometei dá e ElE cumpriu, pois ElE nao e homem para mentir e nem filho do homem para que se arrependa.
ELOHIN prova para que nao venhamos a ser envergonhados diante de outras naçoes e toda provaçao vencida ela gera perseverança(tiago 1.3-4).
É este o ponto, a APROVAÇÃO.
Após a PROVAÇÃO e a APROVAÇÃO de Deus voce recebe a VITORIA (aquilo que ELOHIN prometeu 1Pedro. 1.7)

Porem quando APROVADO voce começa a conquistar, voce nao sera mais envegonhado porem quando voce chegar na sua terra prometida(A terra e aquilo que Deus lhe Prometeu), as lutas iram começar, pois o inimigo vai querer derrubar voce, porem voce foi aprovado por ELOHIN e nao tem demonio que te derrube, pois na provaçao Deus te deu as armas certas para vencer a luta na terra prometida, portanto voce nao lutara com sua propria força, voce sera totalmente depedente de Deus.
Foi assim com Israel logo apos de passar por provaçoes, e alcançar a vitoria, chegou o tempo de lutas, pois em meio a terra prometida tem desertos que é lugar de lutas, mais, tambem existem montes que e lugar de conquista.
Antes de chegarem a terra prometida que ELOHIN prometeu, o mesmo prometeu o seguinte:"De hoje e diante EU vou fazer com que todos os povos do mundo tenha medo de você, voce sera famoso, e quando ouvirem falar a seu respeito, todos ficarao tao assustado, que tremeram de medo"(DT.2.25)
Depois de sairmos do deserto e passarmos pelas lutas(guerras), adquirimos respeito ou ate medo daqueles que quiseram nos derrubar (josue 5.1).
Quando obedecemos e somos guiados pelo ESPIRITO DE DEUS e somos totalmente dependentes DELE, onde colocarmos as maos obteremos a vitoria, era assim com Israel, todas as vezes que obedeciam a Deus obtiam a vitoria.
DEUS quando promete ELE cumpre.
Foi assim com Israel, Deus prometeu uma terra de descanço e cumpriu com a promessa(Deus deu CANAÃ)
Quando voce chegar na sua terra prometida, obedeça a Deus e voce tera vitorias, nao deixe os pecados que ficaram no meio do deserto revivam(orgulho, lascivia e etc...)
Muitos morrem no meio do caminho por que desobedecem a DEUS (JOSUE 5.6)
Por isso obediecia a Deus gera vitoria, gera poder.
Mesmo na terra prometida voce ainda tera inimigos(diabo e seu demonios) que tentaram te derrubar, te destruir, apenas obedeçae use as armas que Deus te deu na jornada do deserto para permanecer firme, Deus te sustentara e derrubar os que tentarem ir contra ti, pois aí daquele que tocar em um de seus ungidos.
DEUS TE ESCOLHEU, TE PROMETEU E VAI CUMPRIR.
OBEDEÇA

AMEM. http://brunomarinho22.blogspot.com/

sábado, 12 de junho de 2010

Muçulmanos ordenam a cristãos que saiam de vilarejo no Paquistão

Notícias - Portas Abertas

12/6/2010 - 06h34
Saiba mais sobre a Igreja Perseguida no Paquistão
PAQUISTÃO (14º) - O chefe de um vilarejo muçulmano ordenou que 250 famílias cristãs saíssem de suas casas no distrito de Khanewal, província de Punjab, disseram moradores da região.Abdul Sattar Khan, chefe do vilarejo nº 123/10R, Katcha Khoh, e outros moradores muçulmanos da região ordenaram a expulsão após moradores cristãos terem se oposto vigorosamente às agressões sexuais de muçulmanos contra as mulheres e meninas cristãs, disse um cristão representante do governo local, Emmanuel Masih.A maioria dos homens cristãos do vilarejo trabalham nos campos dos proprietários de terra muçulmanos, enquanto que a maioria das mulheres e meninas cristãs trabalham como empregadas domésticas nas casas das famílias muçulmanas, disse Rasheed Masih, um cristão do vilarejo, acrescentando que os cristãos pobres vivem em condições estarrecedoras. Os empregadores muçulmanos têm usado suas posições de poder para, com frequência, agredir sexualmente as mulheres e meninas cristãs, cujas queixas tornaram-se tão intensas que quatro cristãos, Emmanuel Masih, Rasheed Masih, seu irmão mais novo, Shehzad Anjum e Yousaf Masih Khokhar, confrontaram vigorosamente os muçulmanos para serem avisados que todos os cristãos teriam de sair do vilarejo à uma. “Os muçulmanos do vilarejo vieram a nós com a ordem de expulsão somente após as mulheres e meninas cristãs terem levantado um protesto, quando se tornaram totalmente exasperadas por serem agredidas sexualmente ou forçadas por muçulmanos a cometer adultério todos os dias”, disse Yousaf, um líder político cristão. Yousaf disse que a decisão unânime de obrigar os cristãos a saírem de suas casas e mudarem para outro lugar foi possível porque eles estão completamente sujeitos ao domínio muçulmano.“Os muçulmanos diziam às mulheres e meninas cristãs que, se elas lhes negassem sexo, seriam expulsas de seu vilarejo natal”, acrescentou Emmanuel Masih.Os cristãos criaram a colônia quando começaram a se estabelecer na região em torno de 1950, disse Shehzad. Desde então, a migração de muçulmanos para a região deixou os cristãos como minoria entre os seis mil moradores do vilarejo, disse Emmanuel Masih.“Não há prédio de igreja ou qualquer local de culto cristão, nem cemitério para os cristãos”, disse Emmanuel.Ele disse que o Rev. Pervez Qaiser, do vilarejo nº 231, o Rev. Frank Masih, do vilarejo nº 133, e o Rev. Sharif Masih, do vilarejo nº 36, Mian Channu, têm visitado o vilarejo aos domingos para conduzir cultos nas casas de critãos que se revezam para abrir as portas de seus lares.Perguntados por que não pediram ajuda à polícia local de Katcha Khoh, Emmanuel e Yousaf disseram que registrar uma queixa contra o chefe do vilarejo e contra outros muçulmanos apenas resultaria no registro de falsas acusações pela polícia, com base nos famosos estatutos de “blasfêmia” do Paquistão.“Eles poderiam nos prender”, disse Yousaf, “e a situação seria pior para os cristãos do vilarejo que já têm uma vida deplorável que causa pena, sob a sombra do medo e da morte, uma vez que eles [os muçulmanos] não seriam presos pela polícia ou seriam logo liberados sob fiança devido a suas riquezas e influência”. Casais acusados de ‘blasfêmia’Esta exata sina se abateu sobre dois casais cristãos na cidade de Gulshan-e-Iqbal, Karachi, que se aproximaram da polícia com queixas contra muçulmanos por terem acusado-os falsamente de blasfêmia. Em 28 de maio, um juiz instruiu a polícia de Peer Ilahi Bakhsh (PIB) a registrar acusações de profanação do alcorão contra Atiq Joseph e Qaiser William após uma turba de muçulmanos armados terem vasculhado o lixo de sua casa procurando por páginas da escritura islâmica entre os restos da faxina.O juiz de Sharqi, região leste de Karachi, Sadiq Hussein, instruiu a delegacia de PIB em Gulshan-e-Iqbal a abrir um processo contra Joseph e William, recém-casados que, juntamente com suas esposas, dividiam uma casa alugada e agora estão escondidos. O juiz agiu com base na petição do muçulmano Munir Ahmed.Saleem Khurshid Khokhar, um legislador cristão da província de Sindh, e Khalid Gill, líder da Aliança de Todas as Minorias do Paquistão, em Punjab, disse que a polícia estava ameaçando e perturbando os parentes e amigos íntimos de Joseph e William para que revelassem seu paradeiro. Muçulmanos armados com pistolas e rifles aguardavam os casais cristãos regressarem para sua casa alugada, no dia 21 de maio, para matá-los após eles terem feito queixa na polícia de que muçulmanos radicais tinham acusado-os falsamente de profanar o alcorão. As leis de blasfêmia incluem a seção 295-A por ofender sentimentos religiosos, 295-B por profanar o alcorão e 295-C por blafemar contra Mohamed, o profeta do islã. Todas elas têm sido usadas impropriamente por muçulmanos fanáticos para acertar contas pessoais com cristãos.A pena máxima pela violação da seção 295-A, assim como da seção 295-B (profanar o alcorão), é a prisão perpétua. Pela violação da seção 295-C, a pena máxima é a morte, embora a prisão perpétua seja também possível.Shehzad observou que o vilarejo 123/10R, no distrito de Khanewal, dista apenas 22 quilômetros de Shanti Nagar, onde muçulmanos lançaram um ataque contra os cristãos em 1997, incendiando centenas de casas e 13 prédios de igrejas. Yousaf Masih acrescentou: “Os moradores muçulmanos tornaram a vida dos cristãos do vilarejo 123/10R em um inferno”. Tradução: Getúlio Cidade
Fonte: Compass Direct

domingo, 16 de maio de 2010

Organização apresenta documento pedindo justiça para os cristãos

ÍNDIA (26º) - A organização Christian Solidarity Worldwide (CSW) publicou um documento que destaca o padrão de violência contra cristãos na Índia, e pede que a cultura de impunidade seja revertida para garantir que os perturbadores e criminosos saibam que a justiça será feita.

O documento, chamado “Apoio a minorias, violência anticristã e a lei”, tem o foco no resultado da enorme violência em Orissa em 2008, e os “ataques frequentes” contra os cristãos de seis estados, normalmente feitos em grupo. O relatório também argumenta que o governo deveria lidar com essa questão especificamente.

A organização CSW pede a recusa das leis anticonversão que estão em vigor em cinco estados, afirmando que elas são desnecessárias, contrárias à lei internacional, e têm um efeito prejudicial sobre as minorias religiosas. Além disso, eles também pediram para que a penalização dos dalits que mudam de religião seja revista.

John Dayal, membro do Conselho de Integração Nacional do governo indiano (NIC) e Secretário Geral de um dos parceiros da CSW, a All India Christian Council (aicc), afirmou: “A Índia tem uma boa tradição de diversidade religiosa, mas está manchada por causa da violência. O governo precisa fazer mais para resolver os problemas básicos, e o atual projeto de lei não ajudará as vítimas em nada”.

Shabnam Hashmi, membro do NIC e diretor do grupo ANHAD, disse: “Os constantes ataques contra cristãos e muçulmanos em diversos estados requerem atenção urgente e ações afirmativas do governo para acabar com a violência contra essas comunidades”.

Tina Lambert, uma das diretoras da CSW, afirma: “A Índia possui instituições democráticas fortes, e tem um excelente grupo de legislação protegendo os Direitos Humanos. No entanto, há muito mais para ser feito”.


Tradução: Missão Portas Abertas



Fonte: Christian Solidarity Worldwide